Saturday, 22 June 2024, 12:50 AM
Site: Moodle @ FCTUNL
Course: FaCTus (FaCTus)
Glossary: Artigos

Critíca de música: Humble - 2Tone

by Factus FCT - Thursday, 9 November 2006, 1:51 PM
 
Crítica por: Hugo "Janado" - RádioFCT

Humble

HUMBLE é uma banda de ska-core. Ângelo Silva, Nuno Silva e Tito Santana com idades entre os 13 e 14 anos em 1996 formam uma banda na localidade de Moura (no Alentejo), é assim que é descrito o início desta banda no seu site oficial.
No dia 11 de Fevereiro dirigi-me à St. Dominics International School em Cascais com mais dois amigos, para assistir a um concerto com 5 bandas, os Front Door, Trotil, EnDay, Triplet e Humble. Um dos meus amigos já há muito que me falava dos Humble, uma banda de ska-core com muita energia em palco e com música que nos obrigava a não descansar os pés enquanto eles ocupassem o palco, e não, não me refiro a correr desalmadamente para longe deste. Fui então com grandes expectativas para este concerto, pois apenas conhecia os Triplet e os Front Door.
Quando o Ângelo (Voz, Guitarra) começou a tocar as primeiras notas da I Hope Youre Not Recording Me, o people começou simplesmente a dançar e a curtir a boa onda. A energia em palco era brutal, eles não paravam quietos e nós também não, saltava-se, gritava-se HEY!, dançava-se, era uma curte simplesmente brutal devido a uma atitude muito positiva em palco e aos sons contagiantes, EI!, afinal é ska.core. Soei que nem um porco de tanto curtir a boa vibe e também o mosh, como em Ma Kassoa e Chillin. Só para verem o espírito que se apoderou do povo que assistia ao concerto, a certa altura abraçaram-se de frente para o palco, enquanto curtiam todos juntos. O SOM não há cá misturadas dessas, pelo menos não quando se ouve ska-core, se fosse só ska, nunca se sabe. Acabei por adorar os Humble ao vivo, e fiquei totalmente decidido em comprar o álbum 2Tone.
Três dos seus membros frequentam a nossa faculdade, o Ângelo (Voz, Guitarra), o irmão do Ângelo, o Nuno (Bateria, Voz) e o Filipe (Guitarra, Voz). Foi através do Nuno que adquiri o álbum, e desde então não me sai do leitor de cds, e é aqui que entra a crítica ao álbum. Após a excelente impressão que me deixaram no concerto na St. Dominics, as expectativas eram altas. Sou um grande fã de punk, screamo e afins, por isso, ska-core era algo novo para mim, já ouvia algum ska é certo, mas nunca me dei ao trabalho de ouvir um álbum inteiro duma banda deste tipo.
Muitas vezes, as pessoas queixam-se que certas bandas gravam álbuns com músicas tão parecidas, que parecem uma faixa contínua sem músicas diferentes o suficiente para serem diferenciáveis. Ao longo das 9 faixas deste álbum tal não acontece, ok, tudo bem que o estilo gira muito à volta do ska, mas, por exemplo, duas das faixas mostram um lado mais agressivo, falo de Take My Own Soul, uma mistura muita positiva entre punk e ska, com uns palm mutings e uns grooves ska deliciosos e Gui First, com brutas guitarras e umas vocais bem transportadas do estilo ska para o mais agressivo do punk-rock. Todo o álbum é pautado por um estilo musical bem disposto e com muito boas vibrações. O maior exemplo disso é o primeiro single deste álbum, On The River, que a par de Girl compõe a dupla de músicas mais calmas do cd. Adoro a On The River, passo os dias a cantarolar o refrão, tem muita nível, muito bem construída e que deixa o people aqui do meu guêtto totalmente fora de si, digo fora de si, porque atrás das grades é difícil estar fora seja de que sítio for.
A Hope Youre Not Recording Me é aquela música que muitas bandas gostariam mesmo de ter como primeiro single, simplesmente domina, para além de ficar no ouvido é realmente muito boa, é a perfeita mistura entre a rockalhada e o ska, conquista-nos logo no início com um pequeno solo de guitarra que marca logo o tom desta música, deixando antever boas coisas. A Chillin tem um início que me faz querer dançar o vira, e um fim que me faz querer saltar para o mosh. Tal como esta, a Ma Kassoa, a Think Twice e a So Long apresentam uma bela mistura de rock com ska, mostrando com facilidade a destreza por eles apresentada para misturar com sucesso as duas ondas tão diferentes. 2Tone contém ainda um pequeno bónus, na forma de uma faixa adicional. Não posso deixar de enviar um fat props aos Humble devido aos seus talentos vocais, tanto o Ângelo, que parece dar um tom jamaicano à voz nos momentos ska, e que de um momento para o outro a altera totalmente para cantar com um tom mais agressivo, como aos restantes membros que fazem back-vocals bem esgalhadas e com cenas muita manhosas, acreditem que se ouvirem o albúm vão perceber o que quero dizer, apresentam grande acerto e vozes muito boas.
É de salientar ainda a bela apresentação que 2Tone tem, está mesmo impec, só pelo aspecto apetece comprar. De louvar é também a aposta que a Editora Graphonola fez nos Humble, ajudando-os a conseguir gravar um registo musical com muita qualidade e com grande apresentação.

Banda: Humble

Voz e Guitarra: Ângelo Silva
Baixo e Voz: Tito
Guitarra e Voz: Filipe
Bateria e Voz: Nuno Silva

Album: Humble - 2Tone

2Tone

1 Hope Youre Not Recording Me
2 Chillin
3 Ma Kassoa (The One)
4 Think Twice
5 Girl
6 So Long
7 On The River
8 Take My Own Soul
9 Gui First

Site: http://humblestyle.com ou http://humble.pt.vu

Hugo Janado - RádioFCT