Pequeno Dicionário de Sociologia da Educação


Browse the glossary using this index

Special | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | ALL

F

Funcionalismo

Pode-se definir como "funcionalista" uma teoria ou interpretação pela qual um determinado fenómeno é explicado pela função que exerce no sistema mais amplo de que, supostamente, é uma componente.

Surgiu no âmbito das ciências sociais também com o intuito de criticar as teorias que tendem a conferir menor importância à ação dos indivíduos ou excessiva relevância à força das estruturas supra-individuais.

A metáfora fundamental do funcionalismo talvez seja o organismo, partindo do pressuposto de que este é composto por órgãos, e que estes órgãos, tendo cada um a sua específica função, trabalham todos para o correto funcionamento do sistema que integram.


Entry link: Funcionalismo

G

Geração

Em sentido mais amplo, uma geração é um conjunto de indivíduos nascidos aproximadamente na mesma época e no mesmo contexto social e cultural, tais como os que nasceram durante a Guerra Colonial ou nos anos zero deste século (são conhecidas expressões como “a geração rasca” ou “os millenials”). Segundo a definição de K. Mannheim: “Os indivíduos que pertencem à mesma geração, e partilham o mesmo ano de nascimento, são colocados, em razão disto, numa mesma dimensão histórica do processo social”. A diferença entre gerações é considerada frequentemente um fator importante de mudança social. Hoje fala-se muito de “justiça inter-geracional”, ou seja da possibilidade de considerar que responsabilidades e direitos concernem não apenas as relações entre contemporâneos mas também entre gerações diferentes.

Entry link: Geração

M

Macro / Micro

Teorias Macro-sociológicas: abordagens que a) valorizam aspetos supra-individuais, como estruturas, instituições e organizações sociais  e b) tendem (também, mas não necessariamente) a produzir teorias gerais sobre o funcionamento da vida social.

Teorias Micro-sociológicas: abordagens que a) privilegiam analises e interpretações de fenómenos concretos e determinados, b) dão maior relevância às ações dos indivíduos e às suas interações e c) também tendem (mas não necessariamente) evitar generalizações.

Com frequência, refere-se uma oposição em boa parte análoga entre Estrutura (que corresponde ao nível "macro") e Ação (correspondente ao nível "micro"). Na história da Sociologia da Educação - e talvez das ciências sociais em geral - é possível notar uma certa predominância de abordagens macro até à primeira metade dos anos ‘70, a que se seguiu uma manifesta preferência para abordagens micro que continua até hoje.


Entry link: Macro / Micro

S

Socialização

Todos os processos através dos quais realiza-se a construção do indivíduo enquanto elemento de um agregado social e cultural. Podem ser formais e intencionais, ou seja, atividades criadas com uma precisa intenção de educar. Ou informais e não-intencionais: atividades que, tendo outras finalidades - como o jogo, o entretenimento ou a informação - acabam por ter efeitos educativos (por imitação, competição ou censura).

A educação, especialmente a educação em contexto escolar, é um processo de socialização altamente formalizado. Os grupos de amigos ou as redes sociais são exemplos de ambientes de socialização informais.

A socialização primária visa o estabelecimento dos elementos básicos da personalidade e dos comportamentos sociais, e acontece geralmente em âmbito familiar. A socialização secundária desenvolve os papeis sociais e as atitudes do indivíduo de forma a corresponder ao que se consideram ser as exigências e as expectativas do ambiente social circundante. Esta acontece fora do ambiente familiar: na época moderna, sobretudo em instituições de tipo escolar mas também em contextos informais.


Entry link: Socialização

Status

A posição que um indivíduo ocupa na sociedade, o lugar ocupado por um indivíduo numa rede de relações. Ter um determinado Status implica geralmente gozar de certos privilégios e possuir certas obrigações. O Status corresponde ao Prestígio, que por sua vez está relacionado a alguma forma de propriedade, riqueza, poder ou influência.

Não é difícil, com algum exercício de reflexão, individuar alguns dos "símbolos de Status" mais evidentes, tais como vestir roupa de marca ou possuir carros de marcas prestigiadas e telemóveis caros. Mas há também elementos talvez menos "visíveis", como a forma de falar e a postura do corpo, que também estão associados ao facto de possuir ou não um Status privilegiado.


Entry link: Status