Edição #3 - Outubro de 2006

Page:  1  2  (Next)

Desfile do Caloiro '06

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 7:39 PM
 
Novo ano, novos caloiros, é assim todos os anos e ainda bem, gente nova nesta faculdade é que é preciso.

O FaCTus gosta de saber o que pensam os caloiros sobre alguns assuntos muito importantes. Para tal efeito fizemos uma lista de cinco perguntas rápidas, para alem das habituais nome e curso, e pedimos a colaboração de uns quantos caloiros para as respostas. Aqui ficam as respostas:

1. Floribela ou Morangos com Açúcar?
Floribela: 20%
Morangos com Açúcar: 50%
Não sabe/não responde: 30% 
2. Tagus ou Superbock?
Tagus: 0%
Superbock: 70%
Outra: 30%
3. Lampreia ou Choco Frito?
Lampreia: 0%
Choco Frito: 70%
Não sabe/não responde: 30%
4. Senhor(a) Doutor(a) ou So Tor(a)?
Sr(a) Dr(a): 60%
So Tor(a): 30%
Não sabe/Não responde: 10%
5. Qual o melhor curso?
Nesta resposta não houve, mais uma vez, consenso, todos os caloiros responderam cursos diferentes, felizmente todos acertaram no próprio curso. Bom, todos não, houve um irredutível caloiro, que agora e sempre resiste aos invasores romanos, num pequeno canto... Pois, houve uma pobre alma que não tinha bem a certeza qual era o melhor curso, para ele os nossos pesares, dúvidas existenciais na Faculdade são complicadas.

Analisando estes resultados existem alguns pontos a melhorar. O consumo de telenovelas ainda é muito alto. O consumo de Tagus é muito baixo, vão ter muitas hipóteses para corrigir isso. O que há de errado com lampreias?  

A equipa do FaCTus gostaria de agradecer, e desejar boa sorte nos respectivos cursos, a alguns caloiros que serviram de objectos estatísticos a esta entrevista: João Santos (Electro), Ana Ferreira (Bioquímica), Inês Mourão (Ambiente), Bernardo Azevedo (Biomédica), Ana Serafim (Conservação e Restauro), André Ferreira (Química e Bioquímica), Tânia Leitão (Informática), Sofia Dias (Matemática), Francisco Branco (LEGI) e ao Rogério Mauro (Civil).

Desfile do Caloiro

Desfile do Caloiro

Desfile do Caloiro

Desfile do Caloiro

Desfile do Caloiro
 

Editorial

by Factus FCT - Thursday, 9 November 2006, 2:01 PM
 
Olá a todos! Bem vindos a mais um ano, mais umas disciplinas, mais Faculdade, mais FaCTus. É verdade o FaCTus com esta edição faz um ano. Um ano com 4 edições e participações em várias actividades na Faculdade, um ano em que temos estado a melhorar e sempre a tentar dar o máximo de informação possível.

Com este propósito em mente o FaCTus e o News@MoodleFCTUNL fizeram uma parceria para se tentar criar um canal central de notícias da faculdade, neste momento já se pode ver o princípio do que está para vir, no entanto mais está no horizonte, estejam atentos a http://moodle.fct.unl.pt/news.

Nesta edição, por motivos óbvios, centrada na semana do caloiro e suas actividades, falamos do desfile do caloiro e da festa do caloiro. Fazemos uma revisão do que foi o inicio do ano lectivo para os que já cá estavam. Falamos das esculturas que embelezam a nossa faculdade desde o inicio de Agosto, falamos também do Metro do Sul do Tejo que deve estar por aí aparecer e finalmente falamos também do concurso de programação NovaIdeiaCup '06.

Gostaria de voltar a afirmar que gostaríamos de ter a tua colaboração no FaCTus, por isso, se gostas da área do FaCTus entra em contacto connosco.

Bom começo de ano lectivo. 
 

Encontro Nacional de Direcções Associativas – ENDA

by Factus FCT - Wednesday, 15 November 2006, 2:53 PM
 
No mês de Setembro, mais precisamente no fim-de-semana de 22 a 24, houve lugar a um Encontro Nacional de Direcções Associativas - ENDA, que decorreu na Universidade do Algarve a cargo da Associação Académica da mesma (AAUAlg).

O objectivo dos ENDAs é de definir estratégias conjuntas sobre o modo de defender os melhores interesses dos alunos do Ensino Superior e Politécnico. Por exemplo, os dias de Luta Nacional e Manifestações costumam ser decididos nos ENDAs, aliás a AEFCT em Dezembro de 2004 foi anfitriã de um ENDA, tendo participado oficialmente em algumas das manifestações subsequentes.

Neste ENDA, que contou com a participação da AEFCT pelo seu representante João Pina responsável pela Área de Intervenção Académica da AEFCT, foram aprovadas algumas moções de interesse, a saber:

  • Pela Associação Académica de Coimbra - Dia de Alerta Nacional dos problemas do Ensino Superior a decorrer no dia 19 de Outubro, quinta-feira, cabendo a cada AE a promoção de acções descentralizadas nas suas cidades que denunciem os problemas específicos de cada instituição ou do Ensino Superior em geral. Havendo posteriormente, dia 21 de Outubro, uma reunião em Viseu de todo o movimento associativo nacional para balanço das acções desenvolvidas.
  • Pela Associação Académica da Universidade do Minho Solicitação à Provedoria da Justiça para que se pronuncie sobre a base legal da cativação de 7.5% sobre as receitas próprias das Universidades, incluindo a receita das propinas, por traduzir uma colecta directa do Estado às Famílias, em prejuízo do sentido associado ao seu pagamento e à fixação do seu montante.
  • Pela Associação de Estudantes do Instituto Superior de Psicologia Aplicada Proposta para que sejam tomadas medidas concretas para a consagração de um ensino superior de qualidade, acessível a todos independentemente da sua condição económica e social, como previsto na Constituição Portuguesa.
  • Pela Federação Académica do Porto Explicação por parte da Direcção Geral do Ensino Superior sobre os critérios utilizados aquando da adequação dos ciclos de estudos do Ensino Superior Público Politécnico que culminou com a não atribuição de qualquer Mestrado, já que não existe base para o mesmo acontecer segundo o artigo 16 do Decreto-Lei 74/2006 que regulamenta a atribuição de certificação dos Mestrados.
  • Pela Federação Académica do Porto Proposta de criação de um Observatório Nacional do Ensino e do Emprego - uma estrutura que englobe a Sociedade Civil, nas figuras das Associações Patronais, Sindicais, Juvenis, Culturais e demais e o Estado, na figura dos Ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social, Ciência, Ministério da Tecnologia e Ensino Superior, Ministério da Educação e Ministério da Economia e da Inovação. Estas entidades definiriam estudos de empregabilidade que permitissem avaliar as tendências de necessidade de mão de obra qualificada a longo prazo, de forma a proporcionar aos jovens toda a informação para a tomada de opções consciente e que não venham a ser defraudadas no futuro, em face de uma situação inesperada de desemprego.

Estas moções vêm de encontro ao que já é sabido, alguma coisa não vai bem no Ensino Superior, caso contrário não haveria lugar a que textos como o que vamos apresentar, que serve de base á moção da Associação Académica de Coimbra:

Todos os anos o movimento associativo Português depara-se com várias alterações ao sistema de Ensino Superior em Portugal. Alterações que têm mantido uma linha de desresponsabilização política e financeira do Estado face às diferentes instituições.
Este início de ano lectivo não foi excepção. Os motivos de preocupação são vários:
  • Na mesma semana em que surge um relatório da OCDE que lança dados preocupantes (falta de qualificação dos Portugueses trava crescimento económico, apenas 13% da população portuguesa tem uma licenciatura, o que representa menos de metade da média dos Países da OCDE, Portugal investe menos 1/3 nos estudantes do Ensino Superior do que a média dos restantes estudantes Países da OCDE), é tornado público que as instituições de Ensino Superior em Portugal serão alvo de um corte orçamental que varia entre os 5,8 % e os 7,2%, havendo uma diminuição de transferência de verbas para os politécnicos de menos 18 milhões de euros comparativamente ao OE de 2006.
  • Os Serviços de Acção Social das instituições, também eles fruto de sistemáticos cortes nas suas dotações, continuam com a penumbra de um presumível futuro marcado por uma lógica de privatização dos apoios indirectos, e um sistema de bolsas entregue à matemática e linearidade do poder central.
  • A adaptação do Processo de Bolonha às licenciaturas do Ensino Superior em Portugal, havendo uma desinformação generalizada sobre o seu conteúdo, formas de implementação e objectivos. Isto agravado por uma falta de estratégia por parte do Governo e das Instituições para a Educação e Ensino Superior em Portugal a médio/ ou longo prazo. 
  • O acentuar do carácter inócuo dos órgãos nacionais com representação estudantil, havendo um processo de alteração ou reorganização de estruturas sem a devida informação ou participação dos estudantes, destinatários de qualquer sistema de Educação.
  • O colocar em causa da identidade e sobrevivência financeira das Associações de Estudantes com a nova lei do Associativismo.
 
E tu? Achas que tudo vai bem? Qual é a tua opinião sobre o assunto? Porque não aproveitas o Dia de Alerta Nacional, esta quinta-feira dia 19 e dizes o que pensas, aproveita os meios que tens ao teu dispor: o fórum da Faculdade, o fórum do News@MoodleFCTUNL, o fórum do FaCTus, etc.

Diz o que achas, participa.

Nota: Podes encontrar mais informações sobre o ENDA em http://www.aaualg.pt/enda/ ou então podes dirigir-te à tua Associação de Estudantes e perguntar directamente ao representante da AEFCT nos ENDAS.
 

Inicio do Ano Lectivo 2006/2007

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 6:22 PM
 
Depois de umas merecidas férias e de um mês de Agosto que esperamos que tenha sido muito agitado e divertido para todos, eis que chegou Setembro e um novo Ano Lectivo, este, em especial, deveras importante. 
Bolonha entrou em vigor e agora podemos ver finalmente se as vantagens compensam as desvantagens, se os novos planos curriculares serão cumpridos, já que têm aparecido cadeiras para nos inscrever de anos anteriores ao nosso e que antes não existiam, e se, com Bolonha, pagaremos mais para ter a mesma formação de antes. Relembramos que o Mestrado Bolonha, na prática, corresponde às antigas Licenciaturas, pois os currículos não alteraram muito, apesar de alterações de nomenclatura de cadeiras ou junções, mas no essencial, a formação é sensivelmente a mesma. A diferença, clara está, é no modo de financiamento do 2º ciclo, estando todos nós à espera da decisão do Governo. Porque uma Licenciatura de 3 anos, no caso de uma Engenharia, não é o mesmo que as antigas licenciaturas de 5 anos, reconhecidas pela Ordem. Se estás a estudar para Engenheiro, relembramos-te que para a Ordem te reconhecer como tal, tens que ter sempre uma formação de 5 anos, ou mais especificamente os equivalentes 300 ECTS, o que, com o novo regime de financiamento do 2º ciclo, poderá implicar um gravíssimo aumento dos custos, já que em princípio não haverá tecto máximo para as propinas aplicadas ficando o mesmo ao critério dos estabelecimentos de ensino. Portanto, em relação a Bolonha, aconselhamos-te a que analises se, de facto, é benéfico, e que ajudes à discussão do mesmo. Apesar de entrar agora em vigor, nada é irreversível, se alguma coisa no teu curso não está bem, deves falar com o responsável da tua licenciatura e/ou a tua Comissão Pedagógica para se poder rectificar a situação. Relembramos-te ainda que no nosso número 2 publicámos entrevistas com várias Comissões Pedagógicas Artigo, onde se resume o que estava previsto acontecer a cada Licenciatura, tendo em conta as informações disponíveis na altura. Em caso de dúvidas, lembra-te, contacta a tua CP.
Bolonha à parte, chegámos à faculdade e demos de caras com confessionários no primeiro andar do Departamental, imobiliário esse que não é adequado ao tipo de estudo que se pratica nesse espaço, caracterizado por ser mais de grupo. E na cantina, este Inverno que aí vem, continuará a chover, por isso compra já o teu Guarda-Chuvas PROPINEX.
Por falar em Propinas, lá voltaram a aumentar, desta vez mais 20, para 920, com a possibilidade de se poupar 5% se se fizer o pagamento integral das mesmas. 
Não devemos agora baixar os braços, porque a Lei de Financiamento do Ensino Superior tem mesmo que desaparecer das nossas vidas. E atenção: desaparecendo esta, não podemos deixar que, ao abrigo de Bolonha, venha uma ainda pior.
Para agravar ainda mais todos estes problemas e incertezas, este ano as inscrições para os turnos práticos foram no passado dia 15 de Setembro, e os sorteios decorreram entre ontem e hoje, os problemas são os do costume, o servidor diz adeus durante a altura do sorteio, o que, convém dizer, é chato para quem quer estar em cima do acontecimento, motivo pelo qual se imagina que as inscrições este ano passaram a ser só um dia, o pessoal está sempre em cima do acontecimento.
Fora isso notaram-se algumas questões com as diferenças entre as expectativas de alguns professores para o número de inscritos num dada disciplina de transição e o número real de inscritos, o que em alguns casos originou turnos práticos a menos. Outras disciplinas desaparecem mágicamente dos horários e aparecem no CLIP como inscrição adiada.
Claro que como não poderia deixar também de ser, houve assim alguns soluços nas pré-inscrições, por exemplo a data inicialmente indicada ter sido adiada, e as constantes alterações nas disciplinas obrigatórias, obrigatórias atrasadas, opcionais e restantes, as constantes adaptações do CLIP aos planos curriculares dos cursos, mas sinceramente há que admitir, não seria um novo ano lectivo como deve ser se não fossem estas pequenas coisas para lhe dar colorido.
Numa nota claramente positiva, a nova biblioteca finalmente abriu, já não era sem tempo. Esperemos que a FCT tenha ganho um grande equipamento do qual se possa orgulhar. Nós acreditamos sinceramente que sim.
E pronto, bom ano lectivo e esperemos que leias sempre o FaCTus.
 

Lazer

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 8:14 PM
 
Passatempo

Numa rua existem 5 casas de várias cores. Os seus moradores, todos estudantes de diferentes cursos da FCT,  têm gostos diferentes no que diz respeito a jogos e animais de estimação.  O NJS e o Factus conseguiram obter algumas informações sobre esta rua. Consegues descobrir quem mora em cada casa, qual o seu curso e restantes preferências?

Passatempo
  1. O morador da casa amarela tem um gato.
  2. A Rita mora na casa à esquerda da casa do Marco.
  3. A casa do meio é azul.
  4. Na casa à direita da azul mora a Marta.
  5. O Marco estuda Física.
  6. A Rita mora na primeira casa da rua (a casa mais à esquerda).
  7. A Marta gosta de jogar Carcassonne.
  8. O João está em Informática
  9. A Ana mora na casa vermelha.
  10. Quem mora na casa verde está em Ambiente.
  11. A casa amarela fica à direita da branca e à esquerda da azul
  12. Quem tem um coelho mora entre os donos do gato e do cão
  13. Na última casa da rua (a casa mais à direita) existe um papagaio.
  14. Quem está em Mecânica gosta de jogar Pokémon.
  15. Quem está em Materiais tem um hamster
  16. À esquerda da casa do João joga-se Descobridores de Catan
  17. Quem mora na casa branca joga Risk 2210 A.D.
  18. À esquerda da casa da Marta joga-se Hero Clix.
Eventos

A C nsura da Mem´ria
 

Metropolitano Ligeiro da Margem Sul do Tejo

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 4:53 PM
 
anteriormente Artigo te falámos na Rede Metropolitana de Transportes Públicos e na importância que os metropolitanos ligeiros de superfície têm no combate ao aumento do uso do transporte individual.
Desta vez, falaremos do Metro Sul do Tejo, que passará mesmo aqui ao pé da FCT e também servirá os FCTenses, em particular os que moram na margem sul. Este tipo de transporte público está a ser adoptado pela maioria das cidades europeias de média dimensão. Caracterizado por ser rápido, confortável, seguro, silencioso, com baixos custos, amigo do ambiente e dispondo de vias próprias para circular (o que reduz o tempo de viagem), o MST terá articulação com as várias redes de transportes públicos urbanos e inter-urbanos, aumentando a mobilidade de milhares de pessoas que têm de se deslocar entre os concelhos da margem sul e Lisboa. Estará equipado com carruagens de ultima geração e fará o trajecto entre Pragal e Corroios em apenas 15 minutos. No mapa seguinte podemos ver o Traçado previsto do Metro.
Mapa
Começado a construir em 2003, o Metro é o resultado de um longo processo de trabalho e luta desencadeado desde 1985 pelos autarcas da margem sul. O MST constitui um excelente instrumento de valorização do espaço público, do ambiente urbano e da qualidade de vida das populações. Com uma extensão de 13,6 quilómetros, na sua primeira fase, o traçado abrange o eixo central da cidade de Almada, passando por importantes interfaces de transportes públicos, como o terminal rodo-fluvial de Cacilhas e a estação ferroviária do Pragal.
Apesar das qualidades que este equipamento tem, das dificuldades ao nível dos transportes públicos com que a população se depara todos os dias, e do facto que com esta obra se irá melhorar os transportes na margem sul, melhorar a qualidade ambiental dos concelhos onde se insere, criar novos espaços pedonais e para a circulação de bicicletas e ainda novos espaços verdes públicos, reordenar o estacionamento e a circulação automóvel e modernizar as redes de infra-estruturas não viárias (água, saneamento, gás, electricidade, telefones, semáforos, TV cabo) afectadas pela construção do MST, as obras encontram-se paradas.

Chegou-se a um impasse, devido fundamentalmente a dois factores. Por um lado, mesmo aqui ao pé da FCT foram encontrados vestígios arqueológicos e já se sabe como é quando isto acontece, pois os estudos demoram tempo e estamos a falar da nossa história. Por outro, e tratando-se esta obra de um consorcio entre as Autarquias da Margem Sul, nesta primeira fase a Câmara de Almada, e o Governo, este ultimo não disponibilizou ainda a verba para o prosseguimento das obras. Inclusive alega que a Câmara não disponibiliza terrenos para a construção, nomeadamente no troço entre Almada e Cacilhas, quando é a própria concessionária chefiada pelo governo que não envia as plantas para a Autarquia, a fim de serem cedidos os terrenos (in Diário de Noticias, Quarta, 24 de Maio de 2006).

Mas apesar dos atrasos, as partes envolvidas têm tentado chegar a um acordo, esperando-se para o primeiro trimestre de 2007 o inicio da circulação de um transporte que irá ajudar, e em muito, os Estudantes a chegarem ao Campus da FCT.

Mapa

Objectivos do Metropolitano Ligeiro da Margem Sul do Tejo:
  • Melhorar e aumentar a qualidade e a capacidade de transporte (redução dos tempos de percurso, garantia da fiabilidade dos horários, optimização dos modos de transporte colectivo da travessia do Tejo).
  • Contribuir para a estruturação dos sistemas regionais urbanos, urbano-industriais, urbano-turísticos, rurais e de paisagem protegida.
  • Reforçar a coesão do sistema urbano do Norte da Península de Setúbal (Almada, Seixal, Barreiro e Moita), também designado por «Grande Cidade da Margem Sul do Tejo», segundo um modelo polinuclear.
  • A construção do MST, em articulação directa com a rede ferroviária pesada que fará a travessia do Tejo e do transporte fluvial, irá desempenhar um papel decisivo na (re)estruturação do território regional nos próximos anos:
    • Constituição dum grande polo do Norte da Península de Setúbal e integração das actividades económicas, dos serviços e dos equipamentos que permitirão restabelecer o equilíbrio entre residentes e activos.
    • Complementaridade entre o MST e os outros sistemas de transporte (interfaces com o eixo ferroviário Norte-Sul, com os transportes fluviais e com os transportes colectivos rodoviários), indispensável para melhorar as condições de Travessia do Tejo.
  • Revalorizar os eixos que serve e conferir-lhes um carácter mais urbano. A sua realização será decisiva na valorização dos espaços urbanos, já que permitirá:
    • Melhorar a qualidade ambiental dos concelhos onde se insere;
    • Criar novos espaços pedonais e para a circulação de bicicletas e ainda novos espaços verdes públicos;
    • Reordenar o estacionamento e a circulação automóvel, modernizar as redes de infra-estruturas não viárias (água, saneamento, gás, electricidade, telefones, semáforos, TV cabo) afectadas pela construção do MST.
 

Mudança de Visual da FCT

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 7:12 PM
 
Já deves ter reparado que a Faculdade tem, desde o inicio do Verão passado, algumas esculturas que vieram embelezar os jardins e pátios do nosso Campus, esculturas essas fruto de um Workshop que decorreu entre 15 e 30 de Junho de 2006.

Aquando da decoração da nova Biblioteca, o Conselho Directivo da Faculdade pediu ao escultor Víctor Ribeiro par elaborar uma peça. Da sua imaginação nasceu a Arvore do Conhecimento, apresentada aqui numa foto parcial.  
Arvore do Conhecimento
Encantado com o resultado, o Conselho Directivo pediu a Víctor Ribeiro, José Pé Curto e Rui Matos que realizassem o já referido Workshop. Nasceram assim as três esculturas. No mapa seguinte mostra-se a localização das mesmas pelo Campus.  
Mapa Esculturas
Peso e Equilíbrio, da autoria de Rui Matos, pretende interferir com a sensação de peso e equilíbrio que o espectador tem como estabelecidas. Um dos blocos transforma-se em dois, dando a sustentabilidade física real da escultura, mas aparentando a impossibilidade de um equilíbrio. Na superfície da escultura jogam-se outros valores, nomeadamente o seu afundamento ou empolamento deixa aparecer fendas ou transforma pequenos volumes de pedra em objectos que, embora sejam do mesmo material, aparecem soltos e colados à superfície.
Peso e Equilibrio

Figura Cindida com Ave, de José Pé-Curto, enquadra-se no percurso pedonal onde foi colocada. Consiste numa figura feminina cortada em duas partes que se afastam, que vem acentuar o eixo do percurso pedonal. Sobre a mesma pousa uma ave, quebrando assim a simetria da figura e da sua envolvente.
Figura Cindida com Ave

Víctor Ribeiro criou pontos de Vista, que é um conjunto composto por três elementos dispostos de forma triangular. A árvore, o elemento central, encontra-se morta sobre uma base. A cadeira e a escada destinam-se ao observador e permitem fruir de dois pontos de vista da peça central. A árvore, único elemento orgânico, está sob observação (objecto de estudo). A cadeira representa as cadeiras dos cursos e a escada a ascensão no curso.  
Pontos de Vista

Esta iniciativa contou também com a participação de Mário Sousa, fotógrafo e funcionário da Faculdade. Durante o Workshop, Mário Sousa elaborou um diário fotográfico que pode ser consultado em http://eventos.fct.unl.pt/escultura Site. No site pode ser também consultado o currículo de cada um dos escultores. São da autoria de Mário Sousa também as fotos aqui apresentadas de cada uma das esculturas.
 

Nova Ideia Cup '06

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 7:07 PM
 
Nova Ideia Cup '06

Vivemos numa sociedade em que a implementação de ideias já firmadas costuma tomar precedência sobre as inovações, existindo poucos incentivos para quem quer ter ideias novas.
O Nova Ideia Cup é essencialmente um concurso de ideias, que visa focar, ao invés da usual predominância para a implementação, na concepção e planeamento de uma ideia inovadora para um projecto, projectando-o com qualidade.
Fomos convidados pelo David Alves e pelo João Rico, criadores do concurso e ambos estudantes desta faculdade, o David de Engenharia Electrotécnica e o João de Engenharia Informática, para nos explicarem o porque de um novo concurso. Descobrimos que o David Alves já participou no Imagine Cup, tendo mesmo ficado em 3º e 4º lugar em anos consecutivos, foi devido a esta experiência que verificou que embora se possa ter uma boa ideia com um projecto altamente inovador, esta pode ser totalmente cilindrada pelo júri devido à praticabilidade da mesma, ora isto dá pouco retorno pelo esforço que se investiu num projecto, talvez porque o público alvo da mesma seja reduzido, talvez porque é custosa demais de implementar, etc, os motivos são vários.
Isto provoca que os projectos apresentados em concursos deste género sejam mais virados para a parte de implementação e menos para os conceitos inovadores, com isto em mente o David e o João tiveram a ideia de criar um concurso onde fossem premiadas as ideias e a criatividade, onde um participante obtivesse retorno da sua ideia, onde se tenta de uma maneira aliciante fomentar a Investigação e Desenvolvimento em Portugal, um sector com pouca força no nosso país.
Criaram assim um concurso com o apoio da Microsoft e da nossa faculdade, cujo o tema é a Educação, um tema muito vasto e que assenta bastante bem no conceito do concurso, os projectos podem ser: um software, um site, um algoritmo, um interface, etc, desde que relacionado com o tema geral e usando tecnologias Microsoft.
Os projectos serão avaliados por um júri, num esquema de pergunta-resposta e também pelo público, o júri irá então indicar melhorias que poderão ser efectuadas e qual a melhor área dentro do Imagine Cup para o vencedor participar com o projecto, isto porque o vencedor têm a possibilidade de apresentar o projecto já implementado na final nacional do Imagine Cup, para alem disso, os prémios são prémios que continuam na linha do concurso, fomentando a sede de mais saber e novas ideias, passando por: assinaturas anuais do Microsoft Developers Network (MSDN) e livros técnicos, no entanto o principal prémio deste concurso é a experiência adquirida a projectar um projecto, dando aos participantes uma melhor ideia da realidade que é projectar algo.
E como é principalmente um concurso de ideias, não existe nenhum impedimento a participantes de outras áreas que não as relacionadas com a informática, até se encoraja a isso.
Por isso se achas que tens uma ideia inovadora e estás disposto a provar que és capaz de a implementar, participa, as inscrições são até dia 1 de Dezembro no site do Nova Ideia Cup em http://www.ninf.com.pt/novaideacup/ Site.

Participa da Inovação! 
 

Núcleo de Cinema

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 6:41 PM
 
Fomos falar com o João Carias do Núcleo de Cinema sobre as actividades do núcleo, neste novo ano que se avizinha, aqui fica o que descobrimos:

Miguel: Como correu a semana do caloiro para o Núcleo de Cinema? Tiveram três filmes em exibição (O Castelo Andante, Superman Returns e Match Point), como foi a adesão por parte do público?
João: A adesão no geral foi mediana, extremamente positiva n'"O Castelo Andante", dado que dava o SLB nesse dia; A película "Superman Returns" teve uma adesão abaixo do esperado, para um filme que estreou há um mês nas salas de cinema em Portugal. Tivemos problemas de som durante a projecção do "Superman Returns", devido a uma incompatibilidade da banda magnética sonora (dolby digital) da fita com a nossa máquina de projecção, tal não deve suceder novamente porque vamos ter isso em conta quando alugarmos outras fitas. Finalmente, o Match Point teve uma adesão razoável, talvez um pouco fraca, tendo em conta a qualidade do filme.

Miguel: Ainda no âmbito da Semana do Caloiro o Núcleo de Cinema participou na Tenda dos Núcleos, com a projecção do Baraka no tecto da tenda, como avalias essa participação?
João: Projectámos o Baraka durante um dos sets, era suposto termos tido dois projectores, isso daria para o VJ e para os filmes e clips que o NC ia passar, mas só nos arranjaram um por isso tivemos que dividir o projector, até ao set dos I&I foi Baraka e a partir daí foi VJ'ing.
Resumindo foi uma participação porreira mas pecou pela falta de um projector.

Miguel: Neste novo ano o Núcleo de Cinema tem mais cinema preparado? Já sabem qual vai ser a próxima exibição e mais ou menos quando?
João: "Este ano, o Núcleo de Cinema vai PARTIR TUDO".
Tivemos filme, quarta-feira, dia 4 de Outubro com a exibição do Kiss Kiss, Bang Bang, no dia 11, vai ser exibido o Syriana.
Em principio vamos ter cinema todas as semanas, nalgumas semanas vão ser ciclos temáticos.
Já confirmados estão os ciclos: 
- Volta ao Mundo da Animação em 4 dias (23 a 27 de Outubro) com a exibição de Les Triplettes de Belleville [França], Inosensu: Kôkaku kidôtai (Ghost in the Shell 2: Innocence) [Japão], Ice Age 2 [EUA] e Wallace & Gromit in The Curse of the Were-Rabbit [Reino-Unido].
- Halloween (30 de Outubro a 3 de Novembro) com a exibição de Saw II, Hostel, The Hills Have Eyes e Scary Movie 4.
Por confirmar está ainda um ciclo Documental.
Na semana de 6 a 10 de Novembro vai ser a Semana do Aniversário do Núcleo de Cinema (10 anos), em que pretendemos passar fitas todos os dias (menos sexta-feira).

Miguel: Se tivesses de aconselhar um filme aos nossos leitores, um filme daqueles mesmo essenciais, qual seria? E porque?
João: Aconselharia o Good Night and Good Luck, realizado pelo George Clooney, um filme essencial de 2005 (que o NC vai exibir ainda este semestre),  porque é um filme incisivo, directo, brilhantemente executado, trata de um tema dos anos 50 mas que é ao mesmo tempo surpreendentemente actual e o David Strathairn faz um papel magnifico.

Como podem ver este ano reserva-nos muitas e boas exibições de cinema, aqui mesmo na nossa Faculdade.

Se quiserem entrar em contacto com o Núcleo de Cinema ou quem sabe participar no núcleo, podem-no fazer pelos seguintes modos: cinema@fct.unl.pt ou http://cinema.fct.unl.pt Site.

Good Night and Good Luck
 

Semana do Caloiro '06

by Factus FCT - Monday, 20 November 2006, 7:28 PM
 
Como é hábito, este ano tivemos mais uma semana do Caloiro. A semana do caloiro foi criada para dar as boas vindas aos novos estudantes da FCT e funciona todos os anos mais ou menos da mesma maneira, tendo como pontos altos o Desfile do Caloiro na segunda-feira (também nesta edição), o Rally das Tascas, este ano substituído por uma Garraiada, na quarta-feira e, finalmente, na sexta-feira com a Festa do Caloiro.

Em comparação com o ano passado, o que para os novos alunos não deverá significar muito, a ideia geral é que a semana do caloiro este ano correu de uma maneira muito mais suave e com muitos menos problemas. Com o Desfile do Caloiro não houve os problemas do lixo deixado ao abandono nas traseiras dos edifícios, uma das queixas contra o Desfile em anos anteriores.

Acabou-se com o Rally das Tascas, o que, tendo em conta os distúrbios causados em anos anteriores, especialmente no ano passado com os aborrecimentos causados em estabelecimentos em ronda da FCT e também na cantina, foi uma boa ideia, tendo o mesmo sido substituído pela já referida Garraiada, o que não agradou aos apoiantes dos direitos dos animais mas que agradou aos participantes, humanos, da mesma. Enfim, não se pode agradar a Gregos e a Troianos.

A Festa do Caloiro este ano teve direito a um upgrade, com a adição do espaço entre o Edifício X e a Sala de Convívio ao recinto da festa, uma novidade muito bem vinda por todos, já que nesse espaço foi montado um palco para espectáculos que ocorreram durante toda a semana, por exemplo na segunda-feira neste palco actuou Marco Horácio Rouxinol Faduncho, esta adição permitiu também uma melhor divisão do espaço, com a criação de áreas especificas na festa, uma de karaoke, uma área para a MegaFM, patrocinador da Semana do Caloiro, uma área para dance com DJ's do Swell Club, uma área de divertimento com o touro mecânico, luta de cotonetes e boxe.

Outra novidade, que por vezes passa um pouco ao lado das pessoas é a tenda da Rádio/Chillout, que este ano passou a ser a tenda dos Núcleos, com a participação de alguns núcleos, RádioFCT, NuSI, NNT, Cinema, NuArtes e o FaCTus. Este facto permitiu um aproveitamento do espaço de uma maneira bastante original, com a projecção pelo núcleo de Cinema do Baraka no tecto da tenda num dos sets, no resto dos sets, o projector foi utilizado para VJ'ing como apoio visual para os DJ's da RádioFCT e do NuSI, ao NuArtes coube a decoração da tenda, o que não deve ter passado ao lado dos muitos utilizadores dos pufs, claramente satisfeitos com os mesmos, o NNT fez um pouco de animação de rua, muitos devem ter reparado num velhinho de bengala a passear pelo recinto e o FaCTus como devem estar a imaginar participou da maneira que vêem, escrevendo sobre isto tudo.

Falámos um pouco com cada núcleo sobre a sua participação na tenda do caloiro e sobre a festa do caloiro, deixamos aqui as ideias de cada um:

  • RádioFCT - Hugo Janado: Foi uma experiência positiva, em que a maior vitória foi conseguir juntar tantos núcleos de áreas diferentes e conseguir que as coisas funcionassem. Em termos de organização correu tudo bem, salvo algumas situações pontuais que foram resolvidas, todo o material que era preciso foi fornecido pela AEFCT. E no geral foi a melhor festa em que tive.
  • Núcleo de Cinema João Carias: É uma experiência para repetir, muito positiva, as coisas correram bem, passou-se um filme apropriado no inicio da noite. A organização esteve de parabéns e a afluência à tenda foi boa.
  • NuSI Ricardo Leote: Foi uma experiência positiva, que é quase uma necessidade dado os núcleos terem casa vez menos membros: estas parcerias têm resultado particularmente bem, como é o caso do Cultural Worm Up. A organização esteve bem com o aumento do espaço do recinto que trouxe mais pessoas á festa.   
  • NuArtes Mariana Cardoso:  Foi uma boa experiência, o pessoal pareceu gostar do espaço, especialmente dos puffs. A organização correu bem, exceptuando pequenas coisas que não correram tão bem mas isso também é de esperar. No geral foi uma experiência para repetir.

No geral a organização da Semana do Caloiro está de parabéns, já que para muitas das pessoas com que o FaCTus falou, esta foi uma das melhores semanas do caloiro em alguns anos.

Nota: Por lapso não foi referido o evento das Tunas que decorreu durante a semana do caloiro, nem a participação do Grupo Académico Nós Koppus que esteve também presente durante toda a semana, esta última deve-se ao facto de este artigo ser focado na Tenda dos Núcleos.
Possivelmente houve também outra actividades que não referimos, se foi alguem esquecido, ficam aqui os nossos sinceros pedidos de desculpa pelo lapso.
 


Page:  1  2  (Next)